sexta-feira, 21 de maio de 2010

IANORQ considera metrologia crucial para qualidade dos produtos

Luanda – A directora geral do Instituto Angolano de Normalização e Qualidade (IANORQ), Teodora Silva, considerou hoje, em Luanda, a metrologia (sistema de medidas) como elemento fulcral para a qualidade dos produtos, sobretudo os perecíveis, por conferir fiabilidade aos instrumentos de medição utilizados em indústrias e supermercados.

A responsável, que dissertava sobre o tema “O Sistema Angolano da Qualidade (SAQ) e o envolvimento dos membros do Conselho nacional da Qualidade (CNQ)”, afirmou ser a metrologia indispensável em matérias de qualidade por permitir aferir e calibrar os instrumentos ou aparelhos de avaliação de temperatura, peso, pressão, rotação e outros.

“A metrologia é importante para a qualidade porque oferece o serviço de aferição. Se nós tivermos balanças mal aferidas os resultados não serão fiáveis e poderemos sair prejudicados como consumidores, e até mesmo o produtor/vendedor sairá lesado, caso a sua máquina não esteja a dar resultados fiáveis”, sustentou.

Referiu igualmente que se os instrumentos de medição utilizados nas indústrias tiverem mal calibrados, também influenciarão, negativamente, na composição da matéria-prima, uma vez que as indústrias têm por norma a obrigação de pesar ou medir (no caso de volumes) as suas matérias-primas que entram em determinadas composições.

A directora do IANORQ lembrou, nesta perspectiva, que a metrologia serve de igual modo para calibrar e aferir os instrumentos de temperatura, porque no caso de estes efectuarem leituras incorrectas poderá implicar na conservação dos produtos, mormente os perecíveis, que devem ser conservados em temperaturas abaixo dos seis graus.

Por outro lado, exigiu maior rigor com a avaliação de conformidade por permitir determinar as características dos produtos, com determinadas normas, e normalmente em laboratórios de confiança para que os ensaios sejam credíveis e os compradores sentirem-se, consequentemente protegidos.

“Nós já vivemos essa situação em Angola. Devem estar lembrados do problema que surgiu com as dioxinas nos frangos, como se especulava. Qual foi o laboratório que conseguiu provar que os frangos tinham dioxina. Tinham credibilidade? Então, aí está a avaliação da conformidade a influenciar na qualidade do nos produtos”, exemplificou.

Teodora Silva disse que se as empresas não conseguem demonstrar através de uma entidade independente e credível que têm boas práticas de gestão da qualidade, os clientes escolhem outros fornecedores, porque significa as mesmas não estão certificada, por ignorância a um outro importante instrumentos da qualidade.

“A informação, formação e ética também são necessários. Sem informação o consumidor não sabe exigir; sem formação os operadores de qualidade terão dificuldades em desempenhar as suas funções; e sem cultura de qualidade o cidadão fica indiferente e não provoca a mudança. E infelizmente em Angola isso é muito comum”, salientou.

Neste sentido, a prelectora advogou a necessidade de os produtores velarem pela ética de qualidade porque sem a qual não terão o orgulho de oferecer serviços e produtos com qualidade aos consumidores não serão suficientemente proactivos.

“E, infelizmente, notamos com muita frequência que em determinadas empresas angolanas os gestores de 'stock' não têm ética nem consciência de qualidade dos seus produtos. E desta forma é difícil satisfazer os consumidores com qualidade reconhecida internacionalmente”, observou.

http://www.portalangop.co.ao/motix/pt_pt/noticias/economia/2010/4/20/IANORQ-considera-metrologia-crucial-para-qualidade-dos-produtos,3999c4d0-27e4-4972-afa9-b0492da624f1.html

Sem comentários:

Arquivo do blogue