quarta-feira, 3 de março de 2010

Súmula dos contributos

Retivemos até ao momento que só uma casa em harmonia com a geografia em que se inscreve pode ser económica e ambientalmente sustentável e dar todo o conforto e qualidade de vida a quem nela habita. Falta nos ainda perceber o ponto de vista do projectista, associado ao técnico de energia.


Afinal, pode haver qualidade sem sustentabilidade?

Os Clientes querem que tudo esteja limpo, que haja comodidade, tranquilidade, paz y amor, mas não se sabe se repararão nas placas da fachada - Mas essa limpeza, comodidade, etc, como é garantida?

Uma marca de qualidade (materializada por certificados, bandeiras ou placas) traz por si só qualidade a um empreendimento?

O Turismo é multidisciplinar e envolve geografia (uso do solo) economia (efeito renda e emprego, balança de exportações) ecologia (recursos naturais) é história (património) e sociologia (costumes e qualidade de vida).

A chave do sucesso pode passar por aqui: A multidisciplinaridade permite que o profissional de turismo para exercer com sucesso sua actividade, procure trabalhar em conjunto com outros profissionais como biólogos, geógrafos, administradores, economistas, profissionais de marketing, etc...

A satisfação do cliente (definição de qualidade) pode afinal ser um componente em 8 grandes factores como seja:

1) Competência.

2) Criatividade:

3) Segurança:.

4) Organização:

5) Planeamento:

6) Seriedade:

7) Empreendedorismo:

8) Profissionalismo.

Para alcançar um nível de aceitação elevado é preciso ouvir várias vozes, em particular a do cliente, e é preciso continuadamente monitorizar o desempenho dos vários processos. Uma ferramenta fundamental é a auditoria que, sendo preparada com alguns cuidados, pode trazer economizas em tempo e esforço do auditor.



José Cândido, http://www.acasacertificada.blogspot.com/

Sem comentários:

Arquivo do blogue